segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

A importância da Arte nos dias de hoje

Sejam bem-vind@s! 

Segue abaixo o texto mencionado na nossa primeira aula. Por favor, leia todo o texto e escreva um texto de sua própria autoria, em folha separada, entre 20 e 30 linhas, sobre a importância da arte nos dias de hoje. Mencione no texto sua visão sobre a arte, sobre o que é arte para você e de que maneira a arte está presente em sua vida.

Entregue o seu texto na nossa próxima aula: 25/02/2013.

Um abraço
Profº Raphael  
 
--------------------------------------------------------------------------------------

Para entendermos a real importância da arte nos dias de hoje se faz necessário primeiramente revermos alguns conceitos sobre a arte e suas relações sociais e históricas, para que possamos nos posicionar frente a alguns problemas que inevitavelmente surgirão em face à complexidade do tema.

A arte, segundo alguns, nos remete a objetos consagrados pelo tempo e que se destinam a provocar sentimentos vários, dentre eles, um, difícil de precisar, o sentimento do belo. De acordo com Alfredo Bosi, esta resposta fere sem dúvida alguns aspectos importantes da obra de arte: A objetividade da obra quanto ser material e a subjetividade da mesma, ou seja, o efeito psicológico causado em seu receptor.

A civilização industrial tende a nos mostrar, em todas as coisas, possibilidades de consumo e fruição. Mesmo que a arte atual seja vista como simples mercadoria isto não deve impedir-nos de ver de forma um pouco mais abrangente as questões maiores da natureza e das funções da arte.

A arte tem representado desde a Pré-História uma atividade fundamental do ser humano. Atividade que, ao produzir objetos e suscitar certos estados psíquicos no receptor, não esgota absolutamente o seu sentido nessas operações. Estas decorrem de um processo totalizante, que as condiciona: o que os leva a sondar a arte enquanto modo específico de os homens entrarem em relação com o universo e consigo mesmos.

Funções da Arte

A razão de ser da arte nunca permanece inteiramente a mesma. A função da arte, numa sociedade em que a luta de classes se aguça, difere, em muitos aspectos, da função original da arte. No entanto, a despeito das situações sociais diferentes, há alguma coisa na arte que expressa uma verdade permanente. E é essa coisa que nos possibilita - nós que vivemos no século XXI - comovermo-nos com as pinturas pré-históricas das cavernas e com antiquíssimas canções.

As obras de arte, desde a Antiguidade até hoje, nem sempre tiveram a mesma função. Ora serviam para contar uma história, ora para rememorar um acontecimento importante, ora para despertar o sentimento religioso ou cívico. Foi só no final do século passado e início deste século que a obra de arte passou a ser considerada um objeto desvinculado desses interesses não-artísticos, um objeto propiciador de uma experiência estética por seus valores intrínsecos. Assim, dependendo do propósito e do tipo de interesse com que alguém se aproxima de uma obra de arte, podemos distiguir três funções principais para a arte. Uma função Pragmática ou Utilitária, outra Naturalista e ainda outra de caráter Formalista.

*Usa-se a função utilitária da arte na tentativa de se alcançar um fim não artístico, isto é, não se valoriza a arte por si só, mas como meio de se atingir uma outra finalidade. A exemplo disso temos a arte barroca na época da Contra-Reforma, a Arte Indígena e a Africana.

*Na função naturalista a obra é encarada como um espelho. Que reflete a realidade e nos remete diretamente a ela. Neste caso, a obra tem função social referencial de nos enviar para fora do mundo artístico e para dentro do mundo dos objetos. 

*E por último a função formalista que se ocupa da arte enquanto tal e por motivos que não são estranhos ao âmbito artístico. Há nessa função uma valorização da experiência estética, como um momento em que, pela percepção e pela intuição tem-se uma consciência intensificada do mundo.

Arte nos dias de hoje

A arte sempre esteve interagindo em cada época e se adaptando ao seu meio cultural, para pior ou melhor. Notadamente percebemos hoje, de forma nítida, a superação da arte em suas relações de sociabilidade.  A vemos aliada ao conhecimento tecnológico, à cultura digital. às políticas públicas como em suas aplicações em arte-educação e com isso a construção de uma identidade diversa e inclusiva.

Neste caso, temos a contribuição da arte nos resgates de valores culturais outrora perdidos, além de sua contribuição na abertura de novas frentes de relacionamentos transversais. 

A arte, em sua aventura e interação com o meio social se torna preponderante nos dias de hoje ao trazer consigo a perspectiva da criticidade num tempo de uniformidade de pensamento que, segundo Nilton Santos, "coisificou" nossos espíritos.

É importante que, com isto em mente, possamos insistir em seguir pelo difícil caminho da arte, de forma a estarmos aptos a contribuir para a reconstituição de nossas "auras" perdidas, sem incorrermos em erros tanto dos que defendem um formalismo puro, quanto dos que pregam um conteudismo engajado.

Um comentário: